Queiroz preso: entenda o que se sabe e o que falta esclarecer

Ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro foi preso no interior de São Paulo, na casa do advogado da família do presidente da República. Ainda não se sabe o que [...]

Por Redação em 20/06/2020 às 08:00:23

Ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro foi preso no interior de São Paulo, na casa do advogado da família do presidente da República. Ainda não se sabe o que justificou a permanência dele na casa por cerca de um ano Fabrício Queiroz no momento em que a polícia entra na casa onde estava Fabrício Queiroz em Atibaia

Divulgação

O ex-assessor e ex-motorista do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) Fabrício Queiroz foi preso no início da manhã de 18 de junho em uma operação da Polícia Civil e do Ministério Público de São Paulo. Ele estava em uma casa em Atibaia, interior do estado. O imóvel pertence a um advogado da família Bolsonaro. (Leia mais abaixo)

A prisão foi solicitada pelo Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro e autorizada pela Justiça fluminense. Queiroz é investigado por participação em esquema de "rachadinha" na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), onde Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, ocupou cadeira parlamentar antes de ser eleito senador.

Ao autorizar a prisão do ex-assessor, o juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal, apontou repasses de ex-assessores para conta de Queiroz no valor de R$ 2.039.656,52 e saques na conta do investigado que totalizam quase R$ 3 milhões. Ele é apontado como operador do esquema de rachadinha, no qual funcionários de Flávio na Alerj devolviam parte do salário, e o dinheiro era lavado por meio de uma loja de chocolates e aplicado em imóveis.

5 pontos para entender a prisão de Fabrício Queiroz

Entenda os esclarecimentos para as seguintes perguntas:

Por que Queiroz foi preso em Atibaia e levado para o Rio?

Qual a relação do advogado Frederick Wassef com a família Bolsonaro?

O que Wassef falou após a prisão de Queiroz?

Qual a explicação para Queiroz ter ficado na casa do advogado da família Bolsonaro? Ele estava foragido?

Por que prisão de Queiroz só foi autorizada mais de um ano após o início das investigações?

O que disseram a defesa de Queiroz, Flávio e Jair Bolsonaro ?

Queiroz fazia tratamento em Atibaia?

O que funcionava no imóvel em que Queiroz foi preso?

Onde está a mulher de Queiroz?

Para quem Queiroz ligou após ser preso e o que ele disse?

Por que a operação que prendeu Queiroz se chama "Anjo"?

1. Por que Queiroz foi preso em Atibaia e levado para o Rio?

Queiroz dentro de helicóptero onde foi levado de São Paulo para o Rio de Janeiro

Reprodução/TV Globo

O ex-assessor de Flávio Bolsonaro foi preso quando estava em um imóvel em Atibaia, no interior paulista, que pertence ao advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef. O caseiro da propriedade informou a investigadores que o homem estava no local havia cerca de um ano. Wassef, no entanto, vinha afirmando em entrevistas não saber do paradeiro de Queiroz. Como a autorização para a prisão preventiva - antes de julgamento e sem prazo para acabar - partiu da Justiça do Rio de Janeiro, Queiroz precisou ser levado para ficar preso no estado.

Frederick Wassef, advogado de Flávio Bolsonaro, repetia não saber onde estava Queiroz

2. Qual a relação do advogado Frederick Wassef com a família Bolsonaro?

Wassef conheceu o presidente Jair Bolsonaro em 2014. Desde então, foi se aproximando da família e participou dos bastidores da campanha presidencial, em 2018. Ele tem sido frequentemente escalado para fazer a defesa do presidente em entrevistas à imprensa sobre assuntos jurídicos. Também atuou no caso da facada que Bolsonaro levou em Juiz de Fora (MG) e do porteiro do condomínio da Barra da Tijuca, quando Bolsonaro foi citado no caso do assassinato da vereadora Marielle Franco. Na defesa de Flávio Bolsonaro, Wassef atua no caso da rachadinha.

3. O que Wassef falou após a prisão de Queiroz?

Um dia após a prisão de Queiroz, até por volta de 17h30 desta sexta-feira (19), o advogado não havia se pronunciado publicamente sobre o caso.

4. Qual a explicação para Queiroz ter ficado na casa do advogado da família Bolsonaro?

A defesa de Queiroz e o senador Flávio Bolsonaro não informaram o motivo de Queiroz estar na casa do advogado da família do presidente da República. Jair Bolsonaro informou, em transmissão pela internet, que ele estava lá porque é o imóvel é perto do hospital onde ele fazia tratamento de câncer (leia mais na resposta à pergunta 7).

5. Por que Queiroz é investigado e por que foi preso mais de um ano após o início das investigações? Ele estava foragido?

Para a Justiça, Queiroz operou o esquema de rachadinha no gabinete de Flávio Bolsonaro quando ele foi deputado estadual do Rio de Janeiro Flávio e tentava destruir provas para atrapalhar as investigações do caso. As investigações ocorriam havia mais de um ano, mas Queiroz não era considerado foragido porque não havia mandado de prisão contra ele. O paradeiro do ex-assessor do filho do presidente, no entanto, era desconhecido.

Para autorizar a prisão de Queiroz em 18 de junho, além de o juiz ter citado suposta "influência [de Queiroz] sobre milicianos" do Rio, mencionou que ele teria "influência política" para "pleitear nomeações em cargos comissionados".

A Justiça considerou que ele poderia ameaçar testemunhas e outros investigados e tentar dificultar a apuração dos fatos. Também apontou que o ex-assessor orientou testemunhas a não comparecer a depoimento no Ministério Público Estadual sobre o esquema da rachadinha.

6. O que disseram a defesa de Queiroz, Flávio e Jair Bolsonaro ?

O advogado Paulo Emílio Catta Preta assumiu a defesa de Queiroz no dia em que ele foi preso e disse ter conversado por cerca de 20 minutos com seu cliente no Presídio do Benfica, no Rio. Ele afirmou não ter tido tempo de esclarecer os fatos relacionados à prisão, mas que tentará entrar com pedido de habeas corpus para que ele seja solto. Também afirmou que Queiroz recebeu ameaças e teme pela própria vida. Um dia após a prisão, Catta Pretta entrou com pedido de prisão domiciliar sob a justificativa de risco de agravamento da saúde de seu cliente. (Leia mais sobre a saúde de Queiroz no item 7)

O senador Flávio Bolsonaro disse que "encara com tranquilidade" a operação que prendeu Queiroz. Na visão dele, a prisão é uma tentativa de "atacar" o presidente Jair Bolsonaro.

Em uma transmissão ao vivo nas redes sociais, o presidente Bolsonaro disse que Fabrício Queiroz não estava foragido e que a prisão dele foi "espetaculosa". No mesmo dia, à noite, o presidente disse que o ex-assessor de seu filho estava na casa do advogado da família por ser perto do hospital em que Queiroz fazia tratamento de saúde. Bolsonaro, no entanto, não detalhou qual era o hospital.

7. Queiroz fazia tratamento em Atibaia?

Ao ser preso, Queiroz disse a policiais que estava muito doente. Em 2019, ele fez um tratamento no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Ele pagou R$ 133,5 mil em espécie por uma cirurgia no local, que fica a cerca de 80 km de Atibaia.

Apesar da fala do presidente Jair Bolsonaro de que Queiroz estava em Atibaia por ser próximo do local onde ele fazia tratamento de câncer, não há evidência sobre isso. Investigadores do caso não identificaram deslocamento constante de Queiroz para hospitais no período em que ele estava na casa.

O hospital de Atibaia onde Queiroz fez consultas e exames laboratoriais de janeiro a maio deste ano informou, um dia após a prisão, que o ex-assessor de Flávio Bolsonaro não fazia tratamento contínuo na instituição.

Mesmo afirmando estar muito doente, o pedido de prisão de Queiroz tem fotografias e mensagens de texto anexadas que mostram um pouco da rotina do ex-assessor de Flávio Bolsonaro. Em uma das imagens, tirada no dia 8 de dezembro, ele aparece bebendo cerveja e preparando um churrasco.

8. O que funcionava no imóvel onde Queiroz estava e o que havia lá?

Menção ao AI-5 ao lado dos bonecos scarface encontrada na casa em Atibaia em que Fabrício Queiroz estava escondido quando foi preso pela Polícia Civil de SP

arquivo pessoal

Informações de um celular apreendido indicavam que Queiroz vivia escondido numa casa ampla usada como escritório pelo advogado Frederick Wassef. A polícia só entrou no local após arrombar o portão. Um dos caseiros informou à polícia que ele estava lá havia cerca de um ano.

Um cartaz com a inscrição "AI-5", do ato institucional mais rigoroso da ditadura militar, foi encontrado em cima de uma lareira da casa em Atibaia. O Ato Institucional 5 foi assinado em 1968 e é considerado uma das principais medidas de repressão da ditadura. Entre as consequências dele estão o fechamento do Congresso Nacional E a retirada de direitos e garantias constitucionais dos cidadãos.

Ao lado do cartaz, foram encontrados bonecos que representam o mafioso Tony Montana, protagonista do filme "Scarface".

9. Onde está a esposa de Queiroz?

Márcia Oliveira de Aguiar, mulher de Fabrício Queiroz, é considerada foragida (até a publicação desta reportagem em 19 de junho). Um mandado de prisão foi expedido contra ela na mesma operação que prendeu Queiroz. A investigação identificou uma troca de mensagens entre ela e o marido de novembro do ano passado na qual ela afirma que iria para São Paulo caso tivesse a prisão decretada.

11. Para quem Queiroz ligou após ser preso e o que ele disse?

A primeira ligação telefônica feita por Queiroz após ser preso foi para uma das filhas, para avisar que havia acabado de ser preso. No telefonema, que pôde ser ouvido em parte pelos investigadores que acompanharam a ação, Queiroz disse à filha que estava "na casa" e pediu para avisar "à mãe (a esposa)" e "ao pessoal" que havia acabado de ser preso.

11. Por que a operação que prendeu Queiroz se chama "Anjo"?

Segundo as investigações, diálogo de novembro do ano passado entre Queiroz e a mulher dele indica que os dois cumpriam ordem de alguém de codinome "Anjo". Segundo o MP, "Anjo" teria "poder de mando".

O Ministério Público não confirmou quem seria a pessoa, mas numa das mensagens Queiroz contou à esposa estar na casa de "Anjo". Na conversa, Queiroz diz a Márcia que "Anjo" pretendia mandar "todos" para São Paulo caso não vencessem o julgamento. Para o MP, o ex-assessor se referiu a sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o uso de informações do antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Fonte: G1

Moto facil