20/02/2018
Um ateu pode ter “fé” em alguma coisa?

Por falta de informação ou ignorância, alguns religiosos e ateus (aqueles que não acreditam no sobrenatural) atribuem a fé apenas ao crer em Deus. Mas a principal característica da “fé” é ausência de dúvida no momento que ela se manifesta. 

A expressão “Fé”, etimologicamente tem origem no Grego "pistia", que implica em acreditar, e no Latim "fides", que indica fidelidade. Assim, o termo significa uma convicção de um individuo a uma possibilidade considerada uma verdade sem teor duvidoso. É o momento que a pessoa tem certeza que algo vai dar certo, sem duvidar disso. Observa-se que os termos crer, acreditar, confiar e apostar não estão necessariamente ligados à fé.

Seguindo essa “linha” etimológica, que é independente da religião, são citados alguns exemplos de fé:

1- Alguém aposta, todas as semanas, em jogos da Loteria Esportiva, e tem convicção que um dia vai ganhar...  

2- Uma mulher, solteira e heterossexual, deseja namorar e casar com um homem dos seus sonhos. Mesmo que ela nunca encontre essa pessoa, mas pode existir um momento de fé, que é ausente de dúvida, onde vai ter convicção que um dia vai encontrar.    

3- Um automóvel, em uma estrada que dificilmente trafega veículos, o seu movimento é interrompido por falta de combustível. O “posto”...  fica muito distante do local em que o carro parou. O seu condutor, que é ateu, sabe que errou. Não calculou o nível de gasolina. Ele tem certeza empírica que vai ficar bastante tempo esperando um veiculo passar pela pista. Mas em determinado momento pode se ausentar de dúvidas e ter convicção que a qualquer instante será ajudado por alguém, que supera o processo racional.   

4- A maioria dos militantes de partidos (esquerdas, direitas ou de centros...), em determinados momentos, são convictos que seus partidos são as soluções para resolver os problemas de uma sociedade.     

A expressão "fé" também estar relacionada às variações semânticas: má-fé (quando alguém ou um grupo tem a intenção de prejudicar o outro); boa-fé (quando uma pessoa tem “boa” conduta...); fé pública (quando uma autoridade ou funcionário autorizado, no exercício de suas funções, é representante do “Estado” numa ação determina ação).

No sentido religioso, segundo Santo Agostinho (354 – 430), filósofo cristão, a fé é um caminho à verdade eterna, mas os fiéis devem possuir a capacidade de perceber as veracidades que Deus lhes revela. Ele é o criador de tudo. Afirma também que a pessoa tem parte da alma divina, que a permite conhecer a verdade absoluta, que só pertence a Deus. Não é apenas necessário que o cristão receba as revelações, sim, necessita de um preparo racional, no sentido que compreenda o que lhe é revelado.

Na própria Idade Medieval, outro pensador cristão, Tomás de Aquino, desenvolveu uma relação entre fé e razão. A primeira continua inquestionável, pois se resume em Deus. Mas a segunda se torna importante, desde quando, para que o homem conheça Deus, não é necessário se afastar da razão. O indivíduo é racional e recebeu essa capacidade de Deus.

De uma forma geral, a “fé” também pode se manifestar via a motivação e alegria, que liberam um neurotransmissor, dopamina, que atua no controle do movimento, memória e sensação do prazer.

Conclui-se que a “fé” pode ser usada por religiosos e por ateus. Para os primeiros, se direciona a Deus, o criador de tudo, e para os segundos, é um momento (podendo ser de poucos segundos) de ausência de dúvida, quando a certeza, de ordem emocional e instintiva, supera a razão.

Fontes consultadas:

A Doutrina da Justificação pela Fé – Um Exercício em Diálogo Teológico Bilateral – Parte 1

http://www.mackenzie.br/fileadmin/Mantenedora/CPAJ/revista/VOLUME_VI__2001_/Ronaldo.pdf  

https://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%A9   

Kierkegaard e a religião cristã: o paradoxo da fé e o paradoxo da confissão da fé

www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/download/.../8507  

Qual a diferença entre um ateu e um agnóstico?

https://mundoestranho.abril.com.br/religiao/qual-a-diferenca-entre-um-ateu-e-um-agnostico/  

Significado de Fé

https://www.significados.com.br/fe/  

Relação entre a fé e a razão em Santo Agostinho

https://uspdigital.usp.br/siicusp/cdOnlineTrabalhoVisualizarResumo?numeroInscricaoTrabalho=4684&numeroEdicao=18  

O DIÁLOGO ENTRE RAZÃO E FÉ EM TOMÁS DE AQUINO

http://www.cesadufs.com.br/ORBI/public/uploadCatalago/10092809102012Introducao_a_Filosofia_Aula_13.pdf  

A Escolástica e Santo Tomás de Aquino

http://www.colegiopxsflamboyant.com.br/Documentos/Capitulo8.pdf  

Patrística e Escolástica

http://www.anglosl.com.br/aluno-online-arquivos/materiais/filosofia/Filosofia-1%C2%B0-Ano-EM-2-Semestre-pdf.pdf  

Dopamina

https://www.infoescola.com/bioquimica/dopamina/  

● Por André Luiz Alves de Souza

● É psicanalista. Atende na Clinica Fisioderm. Cel.: (73) 99973.6482 (Vivo-com whatsApp); 73 98829.7602 (Oi).  

● É professor concursado.

● É psicopedagogo.

● É licenciado em Filosofia; pós-graduado em Psicopedagogia; formado, clinicamente, em Psicanálise.

● É professor de cursos para concursos e convidado de faculdades.

 ● Licenciatura incompleta em Matemática.

● Escreve para o blog: http://comportamentoesociedade.zip.net.  

● Críticas, sugestões de temas, títulos e assuntos: drandresouza@hotmail.com ou (73) 99973.6482 (Vivo-com whatsApp).

Anuncie Aqui Empresa Contato Equipe